domingo, 20 de março de 2011

0

É POSSÍVEL UMA SOCIEDADE SEM ESCOLAS?

 

"Boas intenções não têm muito a ver com o que estamos discutindo aqui.
Para o inferno com boas intenções. [...] Boas intenções não ajudam ninguém."
(Ivan Illich, trecho do discurso To Hell With Goog Intentions, na conferência para jovens americanos voluntários, 1968)

Temos um velho modelo de Escola. Na escola, o professor decide o que o aluno deve aprender. Ele está ai para ensinar. Alunos, pais e sociedade, veem a escola como a chave que abre portas para o mercado de trabalho. Nos anos 60, o filósofo e educador austríaco Ivan Illich criticou a institucionalização da sociedade e também a da educação. Para ele, a escola apresenta problemas sérios que prejudicam seu importante papel social. A escola está inserida em uma comunidade, numa sociedade, inserida num país, inserida no mundo cada vez mais interligado e globalizado.

Para Illich, na Escola Institucionalizada, o professor, considerado o único dono da verdade limita outras trocas de informações entre os alunos, monopolizando o aprendizado. O sistema se torna burocrático, limitando a liberdade de pensamento. Illich criticava todas as Instituições.

A solução para esse problema, segundo Illich, está no título de sua obra mais famosa: “Sociedade sem Escolas”. Ele explica que, a Escola funciona como ferramenta de domínio de uma sociedade hierarquizada e desigual.

Para ele, o conhecimento não deve ser monopolizado por uma Instituição social, mas sim, deve ser compartilhado por todos, de uma forma democrática e livre.

Para demonstrar a ineficiência do sistema educacional monopolizado, Illich usa o exemplo de como os enormes gastos em educação nos Estados Unidos são insuficientes para resolver o problema. Ele escreve que não é um certificado ou um diploma que capacita o profissional, mas seu interesse e conhecimento construído. Conhecimento trocado com a família, comunidade, com profissionais capacitados formando redes de aprendizagem.

O livro de Illich, gerou vários debates entre educadores, a maior parte não concorda com ele. No entanto, algumas ideias presentes no livro, como as redes de aprendizagem, tornaram-se realidade no século XXI. A televisão e a Internet são formas de informação e conhecimento acessíveis e abertas. Ficou mais fácil buscar informação por conta própria. Os caminhos do aprender ficaram mais interessantes. A partir deles, quem sabe, podemos chegar à um modelo de educação menos escolar,.

Para discutir: Como será a escola do Século XXI? Essa é uma questão que continua em aberto.

((•)) Ouça este post

Nenhum comentário:

Postar um comentário